Estudantes brasileiros embarcam para maior ‘Feira’ científica do mundo

Eles são dos Estados da Bahia, de Goiás, Minas Gerais, do Pará, Rio Grande do Sul e São Paulo e, apresentarão seus projetos na Regeneron International Science and Engineering Fair (ISEF), que acontece em Atlanta, Estados Unidos.

 

Na sexta 6 de maio, 14 estudantes brasileiros, que foram selecionados pela Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), embarcam para Atlanta, Estados Unidos. Como destino, participação ISEF, a maior Mostra de ciências pré-universitárias do mundo, que acontece até 13 de maio. A Feira conta com 1,5 mil alunos de 70 Países e territórios. Ao todo, serão distribuídos cerca de US$8 milhões em premiações, divididos em bolsas de estudos, estágios e viagens de campo.

Além dos jovens credenciados pela FEBRACE, a delegação brasileira conta com mais 12 jovens e nove projetos selecionados na MOSTRATEC, realizada pela Fundação Liberato, em Novo Hamburgo-RS.

As cerimônias de premiação ocorrerão nos dias 12 e 13 e, os critérios do julgamento serão o rigor científico, a competência e a clareza demonstrada no desenvolvimento dos projetos, além da capacidade criativa e pensamento crítico dos estudantes. Os projetos indicados pela Feira Brasileira são de diversas áreas do conhecimento e se destacam pela criatividade e inovação.

Selecionados da FEBRACE – De Goiás, a estudante Anny Gabriela Marçal de Carvalho Araújo participa com um trabalho de otimização de nanocarregadores magnéticos –, futura alternativa para um tratamento de câncer sem efeitos colaterais. Da Bahia, três estudantes – Maria Eduarda Prates Brandão, Ana Luiza Nogueira Oshiro e Sarah Fernandes de Oliveira –, concorrem com uma pastilha da semente de moringa capaz de purificar a água.

 

Variados projetos

De Minas Gerais, são dois projetos: um de Uberlândia e outro de Divinópolis. O primeiro, de autoria de Maria Eduarda Silva Ferreira, comprova o potencial antibacteriano da própolis verde brasileira contra a periodontite. Já o segundo, desenvolvido pela estudante Ana Clara Machado Silva, mostra o fator de proteção contra raios ultravioleta em tecidos tingidos com corantes naturais.

Em São Paulo, três projetos foram destaque: em Campinas, o Educacess, software que transforma vídeoaulas em PDF’s compactos, desenvolvido pela estudante Lígia Keiko; na capital, o Anti-Skeptikal, um dummie que relaciona aspectos culturais com o ceticismo em relação às vacinas, feito pelos estudantes João Pedro Sassi Sandre e Pietro Andrade Quinzani; e, em Santa Rita d’Oeste, Enso Matheus Papali de Carvalho e Ana Elisa Brechane da Silva desenvolveram um incentivador respiratório para pacientes pós-Covid.

Do Pará, Eloise Cristiny Quintal Ferreira e Oscar Cabral Paraguassu recontaram através de formatos audiovisuais as lendas de Igarapé-Miri. Do Rio Grande do Sul, em Osório, a estudante Amanda Ribeiro Machado utilizou resíduos de processamento da uva para produzir polímero biodegradável.

A ISEF é um evento científico anual, organizada pela Society for Science, agrupando mais de 1,5 mil estudantes de cerca de 70 Países, que competem na Feira por bolsas de estudo, estágios, viagens de campo e outros prêmios, que juntos perfazem um total US$4.070.000 em premiações.

Promovida anualmente pela Escola Politécnica da USP e realizada pelo Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), a FEBRACE é a maior Feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica e técnica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas. Na Feira, são selecionados todos os anos nove projetos para participar da ISEF.

 

(Informações: Comunicação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!