Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 15 de setembro 2019

[Com atualizações // Muquém – Caiado pede para romeiros ajudarem combater ‘corrupção incrustada há 20 anos’ em Goiás

Em média, 500 mil fiéis participaram da edição 271 da segunda maior Romaria realizada em Goiás. Discurso ácido do governador chamou atenção. “Coragem de enfrentar todas as estruturas que sugam o dinheiro público e que não deixavam que a cidadania chegasse aos 246 Municípios”.

 

Santuário de Muquém, 271ª Romaria a Nossa Senhora d’Abadia de Muquém: governador Ronaldo Caiado orando. Ele também discursou na manhã de 15 de agosto – Fotos: Governo de Goiás/Divulgação

 

[Com atualizações

Entre 5 e 16 de agosto, mais uma edição da  Romaria de Muquém foi realizada pela Diocese de Uruaçu, com a participação de 500 mil fiéis, em média, até a Missa de Despedida, na manhã do dia 16 (programada para a sexta-feira). Se o Santuário Diocesano Nossa Senhora d’Abadia de Muquém recebeu caravanas de fiéis de todo o Estado de Goiás e, de algumas partes do Brasil, igualmente recepcionou dezenas de políticos, autoridades e personalidades de todas as instâncias do poder público, especialmente para participarem da popularmente chamada Missa dos Políticos.

Em um templo mariano com cerca de 25 mil pessoas, o padre Francisco Agamenilton Damascena (Padre Agamenilton), administrador diocesano, celebrou a Missa, às 9h da data 15.

 

Fala do governador

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), fez uso da palavra, cedida pela representação santa, em discurso que passou de 20 minutos.

Criticando governadores antecessores, cravou: “Minha gente, quero dizer que não é fácil mudar uma corrupção que estava incrustada há 20 anos [no caso, no no Estado]. Precisamos do apoio da população”, disse enfaticamente, após cerimônia.

Ao microfone, frisou ser preciso “ter coragem de enfrentar todas as estruturas que sugam o dinheiro público e que não deixavam que a cidadania chegasse aos 246 Municípios de Goiás”, em espetadas a José Eliton e Marconi Perillo, titulares do Palácio das Esmeraldas, na gestão 2015-2018.

Uma vez mais manifestando contrariedade em relação aos atos de corrupção, pontuou: “Político não se enriquece com salário de político. Se começou a enriquecer, pode saber que está envolvido em bandalheira, seu mandato não lhe dá condição para aumentar patrimônio. Essa é a verdade”.

 

Apoio

Listando benefícios destinados pelo Governo de Goiás, Caiado comentou, por exemplo, iniciativas do Departamento de Trânsito de Goiás (Detran Goiás), presidido pelo competente e humilde advogado Marcos Roberto Silva. Em Niquelândia, onde está o Distitro de Muquém, a sinalização foi reforçada. Citando outra área ligada ao trânsito, o governador expressou que a Agência Goiana de Infraestrutura (Goinfra) praticou serviço de manutenção da rodovia GO-237 (zona urbana-Muquém), através de operação tapa-buraco, reparos asfálticos (rodovia e Caminho dos Romeiros) e roçagem.

Comunicando que olha adequadamente para as regiões goianas mais carentes – Norte e Nordeste –, Caiado reafirmou compromisso do Gabinete de Políticas Sociais em atender a população de dez Municípios que apresentam o menor percentual no Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF). “Identificarmos as famílias mais carentes, vivendo em condição sub-humana, sem banheiro, energia elétrica, piso e, muitas vezes, ainda com parede de adobe. Por isso a gente tem de fazer essa ação direta e combater duramente as desigualdades”, sublinhou.

Lembrando que a Administração 2019-2022 abre oportunidades para presos trabalharem, o chefe de Estado ressaltou ter responsabilidade acima da média, referindo-se “a assinatura ou a palavra dada”.

Segundo Caiado, atualmente “em Goiás, muita coisa mudou. Presos trabalham para pagar por suas penas. Não vou inaugurar hospitais sem poder oferecer a condição de tratar o povo dignamente [versando sobre o Hospital Regional de Uruaçu]. Não farei obras públicas de ‘outdoor’. Muito menos manchete político-partidária. Vou trabalhar com dignidade”, garantiu.

Entre os políticos presentes, também estavam Vanderlan Cardoso (PP), senador (e o primeiro suplente dele, Pedro Chaves [MDB]); Francsico Jr. (PSD), deputado federal; Delegado Eduardo Prado (PV), deputado estadual; e, Fernando Carneiro (PSD), Renato de Castro (MDB) e Valmir Pedro (PSDB), prefeitos de Niquelândia, Goianésia e, de Uruaçu (sede da Diocese). Também, Wilder Morais, Indústria, Comércio e Serviços.

 

(Jota Marcelo. Com atualizações)

 

NOTA DA REDAÇÃO: abaixo, release do Governo de Goiás focando a participação de Ronaldo Caiado na cerimônia religiosa

 

Governador pede que romeiros reforcem o combate à ‘corrupção incrustada há 20 anos no Estado’

 

Caiado, ao discursar: “Devolvi quase R$140 milhões aos bolsos de todos os goianos, que, antes, eram assaltados pelo Detran do Estado de Goiás” – Foto: Governo de Goiás/Divulgação

 

Como romeiro, Ronaldo Caiado agradeceu e pediu por sua família. Como governador, ajoelhou-se diante da imagem de Nossa Senhora d’Abadia de Muquém para dizer obrigado e rogar por sabedoria para que, cada vez mais, possa governar com dignidade e transparência na missão de combate às desigualdades regionais e oferecer melhores condições de vida aos goianos. “[A Romaria] é um momento que você se enche de energia para enfrentar os desafios.”

Em discurso aos romeiros, autoridades religiosas e políticos que lotaram o Santuário Nossa Senhora d’Abadia de Muquém na quinta-feira 15 de agosto, o governador reforçou o convite que tem feito aos goianos para trabalharem em parceria na reconstrução de Goiás. “Minha gente, quero dizer que não é fácil mudar uma corrupção que estava incrustada há 20 anos [no Estado]. Precisamos do apoio da população”, conclamou, logo após a missa de encerramento da Romaria de Muquém, a segunda maior festividade religiosa do Estado.

Consciente de sua missão, Caiado ressaltou que os goianos o elegeram para “fazer mudanças substantivas na política do Estado de Goiás”. Em sete meses de gestão, este tem sido o mote de seu governo. Para tanto, enfatizou, o governante precisa ter, além das qualificações morais e intelectuais, muita firmeza e bravura. “É preciso ter coragem de enfrentar todas as estruturas que sugam o dinheiro público e que não deixavam que a cidadania chegasse aos 246 Municípios do Estado de Goiás.”

Como exemplo, citou a transformação promovida no Detran, que deixou de ser conhecido como ‘indústria da multa’ e voltou à sua função de servir ao cidadão. Como resultado de ações determinadas pelo governador, a autarquia reduziu taxas, seus custos e democratizou o acesso aos serviços, entre outros feitos. “Devolvi quase R$140 milhões aos bolsos de todos os goianos, que, antes, eram assaltados pelo Detran do Estado de Goiás”, afirmou.

Corrupção e enriquecimento ilícito foram duramente criticados pelo governador em sua fala, pois prejudicam o desenvolvimento do Estado e a vida do cidadão. “Político não se enriquece com salário de político. Se começou a enriquecer, pode saber que está envolvido em bandalheira, seu mandato não lhe dá condição para aumentar patrimônio. Essa é a verdade”, asseverou.

Nesse ponto, Caiado ressaltou a sua indignação por tantos anos em que o dinheiro público era usado para enriquecer pessoas e não servia à saúde, educação e segurança pública. “Minha gente, não podemos deixar de nos indignarmos quando o uso dos recursos públicos não é correto. Estas pessoas que se enriqueceram, construíram grandes propriedades, estão aí com fazendas em todas as regiões, morando nababescamente e não tinham um centavo para poder explicar o seu patrimônio. O Salmo 101 fala de integridade e da necessidade de se combater os malfeitores. Essas pessoas que dilapidaram Goiás vão ter que pagar duramente com a sua consciência e com aquilo que a sociedade brasileira e a justiça divina também cobrarão”, relatou.

Ao lado de Ronaldo Caiado, assistiram à missa celebrada pelo padre Francisco Agamenilton Damascena, o secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais; o senador Vanderlan Cardoso; o presidente da Anatel, Leonardo Morais; o deputado federal Francisco Jr.; o prefeito de Niquelândia, Fernando Carneiro; deputado estadual Delegado Eduardo Prado; prefeito de Goianésia, Renato de Castro; o reitor do Santuário Nossa Senhora d’Abadia, padre Aldemir Franzin; além de outros prefeitos da região, vereadores e demais autoridades militares e políticas.

 

Parceria por Muquém

Para a realização da Romaria de Muquém – uma tradição goiana de 271 anos de tradição –, o Governo de Goiás contribuiu com diversos serviços. A começar pelo Detran, com o reforço da sinalização em Niquelândia. A Agência Goiana de Infraestrutura (Goinfra) fez o serviço de manutenção da rodovia GO-237, que liga a cidade ao povoado de Muquém, com operação tapa-buraco, reparos na pista de rolamento e no Caminho dos Romeiros, além de roçagem da região.

A Goinfra ainda foi responsável pela estruturação do Centro de Apoio ao Romeiro, em parceria com a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), que ofereceu assistência aos romeiros, no quilômetro 30 da GO-237. No local, foram disponibilizados alojamentos, cozinha e espaço para acolhimento. Também foi montado um posto para o Comando de Policiamento Rodoviário (CPR) da Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), apropriado para o trabalho de segurança aos romeiros e motoristas que passam pela região.

Ainda na área de segurança pública e atendimento aos fiéis, o Corpo de Bombeiros montou um posto próximo ao Santuário. A equipe contou com 24 militares e equipamentos variados: duas motos-resgate, duas ambulâncias de atendimento pré-hospitalar, um caminhão de combate a incêndio e um caminhão de salvamento. Durante a romaria, as equipes vistoriaram a estrutura de comércios e barracas, com a finalidade de prevenir acidentes.

Nos dez dias de festa, a organização da Romaria estima que em torno de quinhentas mil pessoas tenham passado por Muquém. Muitos chegam a ficar até 30 dias acampados em frente à Basílica. Outra tradição.

São pessoas como os familiares de Marileuza Perícoli Fidelis. Desde 1974, os Fidelis participam da Romaria. Marileuza veio pela primeira vez acampar aos 12 anos de idade. Hoje, aos 58, mantém a tradição viva entre seus filhos e netos. Há oitos dias, a família está acampada para agradecer as bênçãos e buscar forças para o ano. Ela, que é professora, não vê a hora de se aposentar para passar o mês inteiro em frente à Basílica, aos pés de Nossa Senhora d’Abadia.

E por falar em tradição, a família Perícoli Fidelis tem o costume de receber Ronaldo Caiado no acampamento. No ano passado, o então candidato ao governo passou por lá para comer a rapadura com paçoca. Desta vez, como governador, Ronaldo Caiado foi recepcionado por Marileuza e o seu doce favorito.

 

Reconstruindo Goiás

Olhar pelas regiões mais carentes do Estado tem sido uma preocupação do Governo de Goiás. Durante a Romaria de Muquém, realizada no povoado que leva o mesmo nome e fica nas proximidades de Niquelândia, o governador reafirmou o compromisso do Gabinete de Políticas Sociais em atender, prioritariamente, a população dos dez Municípios que apresentam o menor percentual no Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF). “Identificarmos as famílias mais carentes, vivendo em condição sub-humana, sem banheiro, energia elétrica, piso e, muitas vezes, ainda com parede de adobe. Por isso a gente tem de fazer essa ação direta e combater duramente as desigualdades regionais”, explicou.

Destacando que o Estado tem colocado presos para trabalhar, o governador garantiu que, diferente de outros, tem responsabilidade sobre “a assinatura ou a palavra dada”. “Hoje, em Goiás, muita coisa mudou. Presos trabalham para pagar por suas penas. E tenham certeza: não vou inaugurar hospitais sem poder oferecer a condição de tratar o povo dignamente. Não farei obras públicas de outdoor e muito menos manchete político-partidária. Vou trabalhar com dignidade”, assegurou.

 

[Com mais uma atualização

[ESCLARECIMENTO – Leia mais sobre a ‘Romaria’, abaixo

Marconi Perillo, governador de Goiás em quatro mandatos, afirma que teve compromisso com a Romaria de Muquém e, relembra alguns investimentos durante gestões dele. Leia abaixo ou clique aqui:

 

Em nota, Marconi Perillo informou:

No início de 99, apesar de ter recebido o Governo com duas folhas e 13º em atraso, fui à Niquelândia e me comprometi à construir a pavimentação asfáltica da Rodovia que liga Niquelândia-Muquém. Joguei pesado com duas frentes de obras e no dia 15/08/99, inaugurei a Rodovia e entreguei esta obra sonhada por décadas aos romeiros de Nossa Senhora D’Abadia do Muquém. Após 99, nunca fui a festa de Muquém, de mãos vazias. Fizemos tudo, inclusive o Santuário Novo, Redes de Água, Energia, Asfalto Urbano, Asfalto no novo estacionamento, anel, shows, novo reservatório da Saneago, etc.’.

 

(Informações, sob adaptações: Secom – Governo de Goiás. Com atualizações [Da Redação])

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!