OPINIÃO

DIVERSOS

EDITORIAL’ – Edição 364 (16 a 31/10/2021) – ‘Municípios e a Covid-19’

A publicação Pesquisa Covid-19: 95% dos Municípios já aplicam doses de reforço em idosos e profissionais da saúde, da Confederação Nacional de Municípios (CNM), datada de 22 de outubro de 2021, traz dados interessantes e, este Editorial destaca o assunto, com transcrição (em parte; e, sob adaptações):

Cerca de 95% dos Municípios brasileiros já iniciaram a aplicação da dose de reforço em idosos e profissionais de saúde. Os que ainda não deram início, quase todos já estão organizados para começar essa imunização. Os dados constam da 29ª edição da pesquisa realizada pela CNM, que ouviu 1.855 gestores municipais entre os dias 18 e 21 de outubro.

A pesquisa também aponta que um em cada quatro Municípios ficou sem imunizantes na referida semana. Desses, 67,4% informaram que foi impactada a aplicação da primeira dose, sendo a Pfizer a principal vacina em falta. Destaca-se que apenas esse imunizante pode ser aplicado em adolescentes entre 12 e 17 anos no Brasil, faixa etária que está sendo vacinada em quase 100% dos Municípios. Apenas 3,8% vacinam pessoas entre 18 e 24 anos.

Já para a aplicação da segunda dose, relatada por 43,8% dos respondentes que alegaram insuficiência de imunizantes, a vacina Astrazeneca foi a que mais faltou nos Postos de Saúde, sendo apontada por 91,3% dos gestores que responderam essa questão.

Pelo menos 249 Prefeituras (13,4%), já editaram decreto para exigir o chamado passaporte da vacina para frequentar lugares coletivos públicos. Na citada semana, a CNM também perguntou se os eventos públicos e privados já estão liberados: 73,3% afirmaram que sim e 23,2% que ainda não. Dos que já liberaram a realização de eventos, as celebrações religiosas estão entre as que mais foram permitidas (92,5%); seguido de eventos culturais e shows comerciais (75,6%); eventos ligados à rede educacional (66,6%); Feiras comerciais (66,4%); e, jogos esportivos com plateia (64,7%).

Quase a totalidade dos Municípios mantém a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes coletivos privados (98,2%) e públicos (97,4%). Pelo menos 61% dos Municípios devem manter a exigência mesmo com a vacinação de toda a população local. Já 34,9% informaram que a questão ainda está em definição e apenas 2,8% apontaram que não devem manter a obrigatoriedade. Medidas restritivas de circulação de pessoas e atividades econômicas ainda vêm sendo adotadas por 39,2% dos Municípios, menor percentual já apresentado na pesquisa.

Uma notícia boa foi apontada na pesquisa do período: 1.429 Municípios, ou 77% dos respondentes, não registraram óbitos pela doença. Apenas 5,1% registraram aumento; 9% estabilidade e 7,4% queda. Em relação aos novos casos, 539 (29,1%) não tiveram registros de Covid-19. Em 27,2% houve estabilidade nos números, em 23,9% diminuição; e, 18,7% aumento. Sobre a variante Delta, 17,9% dos gestores alegaram que já houve registro da cepa no Município e 78,2% afirmaram que não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!