Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 19 de julho 2019

OPINIÃO

DIVERSOS

‘EDITORIAL’ – Edição 300 (16 a 28/02/2019) – ‘Internet: menos ódio, mais amor’

Resposta do bispo Messias dos Reis Silveira, em entrevista na Redação do JORNAL CIDADE no mês de janeiro, é o conteúdo do Editorial desta edição. Perguntamos ao então bispo de Uruaçu, agora titular da Diocese de Teófilo Otoni-MG, de que forma ele avalia a internet, as redes sociais, espaços infinitos e, de conteúdos ótimos e péssimos. Confira o que respondeu d. Messias:

Primeiramente, antes de falar desta questão, me veio a recordação de que conversando com um bispo na CNBB ele me perguntou: – De onde você é? De qual Diocese? Eu disse: – Diocese de Uruaçu. Ele disse: – Nunca ouvi falar. Aí eu fiquei pensando: meu Deus, é uma Diocese, mas não é conhecida! E eu me preocupei em ajudar para que a Diocese pudesse se tornar mais conhecida. E aí os meios de comunicação colaboraram muito. Nos últimos tempos, uma explosão desses meios de comunicação, as redes sociais e, eles colaboraram muito, sem dúvida. Hoje, a Diocese, se põe lá no buscador – Diocese de Uruaçu –, vai encontrar muitas coisas a respeito desta amada Diocese. E no meio, na internet a gente encontra pessoas dizendo coisas que talvez pessoalmente não teriam coragem de dizer, mas, ali, acho que está sozinha e acaba dizendo e, aquilo toma dimensão muito ampla. As pessoas tomam conhecimento, expressam seus sentimentos.

Tinha no Facebook, não sei se ainda tem: Como você está se sentindo?. Então, as pessoas se desabavam ali. Estou me sentindo assim, magoada, alegre, feliz. E realmente existem também pessoas que se tornam agressivas do ódio que aparece, mas não é o objetivo dos meios de comunicação espalharem o ódio. Papa Francisco escreveu uma mensagem publicada para o Dia Mundial das Comunicações Sociais – acho que tem uns três anos –, dizendo da importância de cultivar a cultura do encontro, porque os ambientes digitais devem ser lugar de encontros das pessoas e, ali as pessoas podem se encontrar, podem encontrar Deus. Para que este encontro possa acontecer há necessidade de trabalhar também o coração. Então, quem está por trás – vale lembrar quem está por trás de uma tela que aparece a sua mensagem agressiva, às vezes a sua mensagem expressando seu sentimento, às vezes de dor, de ódio, um desejo de vingança –, vale lembrar que, por detrás está uma pessoa que é filha de Deus e, que essa pessoa tem lá seus sentimentos e, aí está o grande desafio, pois a mensagem alcança as pessoas

Mas, como colaborar para que realmente a grande, a preciosa mensagem alcance os corações das pessoas? Uma vez os corações convertidos, transformados, eles vão se expressar de forma diferente. Jesus diz no Evangelho que é do coração, é de dentro do homem, da pessoa que saem as boas e as más ações. Se dentro estão coisas boas então, com certeza, vão sair coisas boas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!