Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 22 de abril 2019

OPINIÃO

DIVERSOS

‘EDITORIAL’ – Edição 297 (1º a 15/01/2019) – ‘A Saneago. A água’

Privatizada ou não, retomando abertura de capital ou não da empresa para o mercado de ações, a Saneamento de Goiás (Saneago S/A) precisa voltar atenção maior para os Municípios em geral, de forma especial expandindo seus serviços na construção de redes de coleta e tratamento de esgoto. Em Uruaçu, por exemplo, jamais houve universalização da coleta e do tratamento de esgotos.

Novos loteamentos: quando de pretensões de empreendedores para implantação de novos espaços urbanos em qualquer reduto, cada Prefeitura (e outras partes interessadas) carecem ser mais enérgicas, pois em determinados casos predominam abusos, sobrando falta de investimentos, o que resulta em situação degradante, em mais casos de doenças.

Presidida, agora, por Ricardo Soavinski, a Saneago, que se faz presente em quase toda a totalidade dos Municípios de Goiás, precisa – algo sugerido pelo JORNAL CIDADE faz anos –, reparar deficiências existentes em suas estruturas (surradas, nesse ou naquele Município), caso de Uruaçu, que, conta com uma equipe dedicada e competente, porém obrigada deparar com injustiças, até desaforos, face deficiências estruturais surgidas no cotidiano. Se não for possível reduzir na sua totalidade, se torna necessário, por exemplo, reduzir a quantidade do número de interrupção no abastecimento de água, problema vivenciado por moradores de parte das cidades grandes, médias e pequenas. Em 2012, a população de Uruaçu sofreu intensamente com a falta exagerada de água, por culpa de não investimentos anteriores, após o rio Passa Três ter volume de água diminuído bastante.

Como vão as fontes? Os córregos que abastecem o Passa Três? Ações importantes foram desenfreadas em distintos recentes anos, mas nunca é demais ter atenção permanente e redobrada. Se necessário, um trabalho nesse sentido – envolvendo a Saneago, Prefeitura de Uruaçu (Meio Ambiente), o Ministério Público (MP), as áreas educacionais de praticamente todos os níveis, a iniciativa privada, as entidades, os voluntários –, ganha praticidade.

E, o governo federal tem que, urgente, providenciar (seguidos) recursos para mais gente ter acesso à água tratada e aos serviços básicos de saneamento, nos 5.570 Municípios.

A população pode ajudar (e se ajudar), economizando água. Se isso é feito, o valor da fatura todo mês apresenta reais a menos. Você aproveita a água da máquina de lavar ou do tanquinho para lavar calçada ou descarga no vaso? Como vai a sua relação com a torneira e o chuveiro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!