Irrigação com responsabilidade

CRV Industrial faz irrigação de salvamento em seus canaviais. “Com o modelo de salvamento conseguimos bons resultados no canavial e não há grandes custos como em outros”, salienta Joaquim Malheiros, superintendente agrícola da CRV Industrial.

 

A CRV Industrial supera os dados nacionais e 38% dos canaviais são irrigados – Fotos: Divulgação

 

90% da água consumida pelas plantas retorna para a atmosfera, de forma limpa, por vapor devido à transpiração das plantas

 

No Brasil, a cana-de-açúcar é a cultura mais irrigada, com cerca de 30%. A CRV Industrial, localizada no Vale de São Patrício (GO), supera os dados nacionais e 38% dos canaviais são irrigados. Atualmente, 25% recebem água na irrigação e os outros 13%, recebem vinhaça e água residual da indústria.

E para ter uso eficiente deste recurso, a usina realiza apenas irrigação de salvamento, trata-se de uma irrigação fracionada, realizada em momentos específicos, logo após a colheita da cana e no período de estiagem. Nessa modalidade são usadas pequenas lâminas, com aproximadamente 40 milímetros, representando um baixo consumo de água por unidade de área.

Segundo o superintendente agrícola da usina, Joaquim Malheiros, a irrigação plena, que supre todas as necessidades da cana, requer um grande consumo de água, além de um alto investimento em equipamentos de irrigação. “Com o modelo de salvamento conseguimos bons resultados no canavial e não há grandes custos como em outros”, esclarece.

A irrigação permite aumento na produção do canavial, em especial em regiões com grande estresse hídrico, caso do Norte goiano. “No período de seca, quando a planta ia parar de crescer por causa da ausência de água, com a ajuda da irrigação, a cana continua a se desenvolver”, explica Malheiros.

Outra vantagem é aumentar o tempo para realizar a renovação do canavial. Com a água, a cana nasce com mais vigor e o perfilho cresce melhor. A renovação do canavial amplia para até sete anos – dois anos a mais do tradicional.

Toda a água utilizada pela usina vem de rios e córregos da região ou de represas. Todo o uso de águas por parte da CRV Industrial é devidamente outorgada e fiscalizada pelos órgãos ambientais competentes, que é incapaz de provocar qualquer alteração nos níveis da vazão dos rios e seus afluentes, devido à diminuta quantidade utilizada.

 

Mais nutrição

No processo de industrialização da cana-de-açúcar, é gerada uma grande quantidade de vinhaça. A estimativa é que para cada litro de álcool produzido, são gerados de dez a 14 litros de vinhaça. E é este resíduo gerado pela produção do etanol tem sido uma das alternativas para diminuir o uso da água para irrigação e também reduzir o uso e os custos com fertilizantes químicos na produção de cana.

Por isso, a CRV Industrial também faz uso da fertirrigação, que é feita exclusivamente com água de reuso – com vinhaça e águas residuárias do processo industrial. Ela é usada nos canaviais mais próximos das usinas.

A fertirrigação permite inserção de nutrientes, em especial do potássio, enriquecendo o solo e diminuindo a utilização de adubos químicos. Assim, há também boa produtividade e maior longevidade do canavial. É relevante considerar que cerca de 90% da água consumida pelas plantas retorna para a atmosfera, de forma limpa, por vapor devido à transpiração das plantas.

 

(Comunicação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!