Inclusão social – Computadores recondicionados garantem oportunidade para cerca de quinhentas mil pessoas

A agricultora familiar Luzileine Teixeira, 33 anos, é uma das cerca de 500 mil pessoas impactadas diretamente pelo programa Computadores para Inclusão, do Ministério das Comunicações (MCom). Do Município de Axixá-MA, o seu primeiro contato com a tecnologia ocorreu durante as aulas na Escola da Terra, localizada na zona rural da Cidade Ocidental-GO, no Entorno do Distrito Federal. Até poucos dias analfabeta digital, Luzinete agora já aprende como utilizar as planilhas para planejar as finanças pessoais e se prepara para um futuro trabalho.

“Nunca peguei ‘nesse negócio’ de computador. A única oportunidade que tínhamos era trabalhar na roça, na lavoura. Estou muito feliz porque a gente está aprendendo um pouco mais”, contou. “Tendo os computadores aqui é muito mais fácil, porque a gente não tem a condição financeira para comprar e aqui temos a chance de fazer um curso, nos capacitar”, completou a agricultora familiar, mãe de dois filhos, que está fazendo o curso de informática avançada por meio de uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A Escola da Terra, onde as aulas são ministradas, recebeu, em 2021, cerca de 30 máquinas recondicionadas por meio da ação federal. Na unidade, os alunos (agricultores familiares e filhos) são capacitados e aprendem técnicas de produção sustentável. Além disso, a instituição está aberta para os alunos e professores da rede pública municipal para abordar o tema da preservação do meio ambiente. O espaço é um dos cerca de 750 pontos – como escolas, bibliotecas e telecentros –, que receberam 10,2 mil computadores desde 2019, em 255 Municípios de todas as regiões do País. A unidade também foi beneficiada pelo programa Wi-fi Brasil, do Ministério, que garante conexão à internet via satélite a 17 mil pontos de inclusão.

“Através da tecnologia que chegou com os computadores, com a nossa internet via satélite, conseguimos informatizar toda a escola. Temos a horta irrigada, o nosso galinheiro, nosso tanque de peixe, todo alimentado e funcionando por meio de sistema wi-fi. Isso é muito importante porque traz para o nosso produtor rural essa tecnologia e as facilidades do mundo moderno”, conta o diretor da escola, Josiel Barbosa.

 

Como participar?

A principal fonte de doações são órgãos públicos federais, estaduais e municipais, conforme regulamentado pelo decreto 9.373/2018. Na página do Computadores para Inclusão é possível acessar o modelo de ofício a ser entregue para solicitar o recolhimento dos computadores e como se cadastrar e solicitar os equipamentos para as escolas. Também está disponível na página do programa os locais de pontos de coleta, os Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCS), onde o público em geral e empresas podem doar.

“Damos uma nova vida para estes computadores que não seriam mais utilizados e poderiam ser descartados de forma errada no meio ambiente. Com isso, permitimos que milhares de pessoas tenham contato com esses equipamentos de informática para acesso à internet e à informação”, explica a coordenadora geral de Projetos de Infraestrutura do Ministério das Comunicações, Daniela Schettino.

 

(Informações, sob adaptações: Assessoria Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!