Hospital Serra da Mesa esclarece sobre encerramento no atendimento de planos de saúde. Posto Uruaçu do Ipasgo está fechado, mas reabrirá [Confira nota do Ipasgo // Reabriu na sexta, 7 de agosto

 

Maior casa de saúde estabelecida em Uruaçu, o Hospital Serra da Mesa, emitiu nota de esclarecimento focando razões para deixar de atender usuários de diferentes planos de saúde. Ao mesmo tempo, esclarece estar empenhado em solucionar o caso e destaca ter interesse de restabelecer a normalidade o quanto antes.

Pontuando que em respeito a toda sociedade, informa o encerramento do atendimento de alguns planos, ressalta ‘que toda a equipe HSM e o Ministério Público (MP) estão empenhados na resolução desses credenciamentos. Contamos com a compreensão de todos! Em breve, tudo será resolvido!’.

A direção se coloca à disposição, para qualquer esclarecimento adicional através do telefone (62) 3357-1000. E-mail: contato@hospitalhsm.com.br.

Leia a nota acima.

 

Posto do Ipasgo [O Posto do Ipasgo Uruaçu reabriu na sexta-feira 7 de agosto e, está funcionando normalmente

A Posto de Atendimento Uruaçu do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo) está fechado, gerando surpresas.

Atendimentos presenciais mais próximos, no momento, são possíveis nas unidades de Ceres e Goianésia.

Presidido por Hélio José Lopes, o Ipasgo está lidando com reestruturação e implantação de novidades, inclusive o projeto Ipasgo Clínica. “O Posto Uruaçu será reaberto em breve”, comentou ao JORNAL CIDADE uma fonte governamental.

Saiba sobre o Ipasgo Clínica, clicando aqui.

 

Nota do Ipasgo

O Ipasgo emitiu nota. Confira:

NOTA DE ESCLARECIMENTO IPASGO

IPASGO PREPARA REABERTURA DE POSTO DE URUAÇU

 

O Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) informa que o Posto de Atendimento em Uruaçu vai ser reaberto aos usuários do plano de assistência ainda nesta semana. A unidade está fechada temporariamente devido à transição de contrato de prestação de serviços de apoio administrativo.

A realização de nova licitação seguiu as recomendações da Controladoria Geral do Estado (CGE) porque a empresa anterior, licitada no governo do PSDB, é investigada pela Polícia Civil por desvios e fraudes, nas operações Morfina, Metástase e BackDoor I e II.

Após realizar inspeção nos contratos do Ipasgo, a CGE solicitou a anulação das licitações e contratos firmados para prestação de serviços administrativo e em tecnologia da informação, pois haviam fortes indícios de que os processos de licitação ocorridos em 2011 e 2013 foram direcionados e haviam ações que colocavam em risco a segurança da informação e a memória organizacional do órgão.

Como medida corretiva, o novo processo licitatório foi aberto e está concluído, sendo assim a prestação de serviços nas unidades do interior voltou ao normal. As alterações foram necessárias para evitar mau uso dos recursos públicos e tiveram o acompanhamento dos órgãos de controle.

O Governo de Goiás e o Ipasgo prezam pela transparência e eficiência na gestão pública. Pela primeira vez na história do Ipasgo, o processo de licitação foi realizado na modalidade pregão eletrônico, conforme recomenda o Tribunal de Contas do Estado (TCE), possibilitou uma ampla concorrência com a participação de 28 empresas e gerou economia ao Estado.

Quando assumiu o Governo de Goiás, em 2019, o governador Ronaldo Caiado encontrou o Ipasgo com mais de quatro meses de atraso no pagamento mensal dos prestadores de serviço da rede credenciada, cuja dívida chegava a quase R$ 500 milhões, e um rombo crescente nos balanços anuais.

Essas dívidas com a rede credenciada foram pagas e os pagamentos foram normalizados. Em caráter inédito, o órgão unificou as datas de pagamentos para pessoas física e jurídica e agora em julho de 2020 efetou a quitação das faturas do mês de maio para toda a rede. Ou seja, pela primeira vez na história do plano, todos os prestadores estão com os pagamentos rigorosamente em dia.

Em janeiro de 2019, o Ipasgo estava com um déficit de R$ 152.839.673,92. Além disso, havia saldo a receber do Governo do Estado que se acumulava, desde 2002, e estava na casa de R$ 183,4 milhões referentes aos programas de saúde desenvolvidos instituto.

Após ajustes nas contas e medidas modernas de gestão, o Governo de Goiás conseguiu reverter o panorama caótico e o Ipasgo conseguiu fechar o ano de 2019 com superávit. Um resultado inédito nos últimos cinco anos, pois, desde 2014, o instituto estava com as contas anuais no vermelho.

Desde janeiro de 2019, o Governo de Goiás vem adotando uma série de ações para otimizar os processos de aquisição de produtos e serviços com o objetivo de reduzir despesas e padronizar os processos licitatórios dentro do Ipasgo.

117 processos, contratos e parcerias foram avaliados por uma comissão do Ipasgo e, ao menos 30, tiveram redução de despesas. A medida resultou em uma economia de R$ 35,8 milhões. Para dar mais transparência, publicidade e ampla concorrência nas concorrências públicas, a gestão adotou o modelo pregão eletrônico, pelo sistema Comprasnet de Goiás, como procedimento padrão a todos os processos.

 

(Jota Marcelo. Com atualizações)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!