Do sertão ao coração, espetáculos levaram alegria e emoção ao público no segundo dia do ‘TeNpo 2022’

Cinco montagens foram encenadas na sexta 17, movimentando diferentes palcos. Em uma das atrações, o Grupo Teatral Limpando o Olho, de Uruaçu.

17ª edição da Mostra de Teatro Nacional de Porangatu (TeNpo): atrativos para todos os gostos. Nesta imagem, apresentação do Grupo Teatral Limpando o Olho, de Uruaçu e que novamente marca presença no evento – Fotos (de 17/06/2022): Yan Rissatti/Secult

 

 

 

 

Atrativos são assistidos por público de todas as idades. Nos links Principal e Regionais, este site tem destacado a realização de mais essa joia cultural

 

O segundo dia de programação foi de grande movimentação na cidade de Porangatu com espetáculos para o público em geral. Ao todo, foram encenadas cinco produções, entre nacionais e regionais, com destaque para as montagens infantis que fizeram a alegria da criançada.

Na sede do Centro Cultural, no início da tarde, o grupo Arte e Fogo encantou a todos com a fábula O dia da Caça, com seus bonecos dando vida e voz aos animais. A história fala sobre o sumiço dos animais e o consumismo de artigos feitos por essas espécies. E ao final, todos se juntam para dar uma lição aos caçadores e a paz volta a reinar no cerrado.

Na sequência, a companhia paulista Pé de Cana levou sua Kombi da arte itinerante na praça da Igreja São Francisco. Com o clássico Xinfrim e seus personagens pra lá de engraçados a trupe arrancou boas gargalhadas dos pequenos e também dos grandinhos.

A arte circense também ganhou espaço com o Show da Alegria, do Grupo Teatral Limpando o Olho, de Uruaçu, que se apresentou no circo montado no setor Raizama. Entre malabares, acrobacias arrepiantes e muita palhaçada, o GTLO fez jus ao nome do espetáculo com diversão e brincadeiras engraçadas.

 

Emoção

Em um show de interpretação, o ator goiano Guido Campos saiu triunfante do palco em seu boi, surpreendendo a plateia. A cena faz parte do monólogo Sertão de Rosacostura cênica, apresentado já à noite, no Centro Cultural.

No monólogo, Guido Campos se sobressai com suas performances intensas. O ator de múltiplas facetas deixou o público atônito em uma dramaturgia que prende atenção do começo ao fim, passando de causos divertidos a cenas dramáticas. Em um só coro, a plateia deu voz a música Oh Meu Amado, da cantora Diana, canção que retrata um melodrama do coração. A peça encerra-se com o ator saindo de cena num rompante, em meio a plateia deixando a todos com um gostinho de quero mais.

 

Romântico

Fechando a noite, a companhia Ateliê do Gesto levou o romantismo ao teatro montado no tatersal do Sindicato Rural (SR), com a produção Fica Comigo, primeira montagem do grupo de dança contemporânea dedicada ao público infantil.

Feita para emocionar crianças e adultos, a peça mergulha nas memórias guardadas ao longo da vida, com o convite para se aventurar no imaginário de um senhor que guarda suas lembranças em caixas, através de gestos que se transformam em danças. Uma obra de encher os olhos e o coração.

 

‘Um Olhar Sobre a Cena’

Com o tema Um Olhar Sobre a Cena, neste ano, a Mostra está mais democrática e descentralizada, com atividades em todas as regiões da cidade do Norte goiano, inclusive nos bairros mais distantes, levando arte e entretenimento a toda a comunidade porangatuense, além de públicos de outros centros. Tudo, de graça.

A programação, que teve início na quinta 16, encerra-se no domingo 19, com o espetáculo nacional Mulheres que nascem com os filhos, estrelado pelas atrizes Samara Felipo e Carolinie Figueiredo.

Nos links Principal e Regionais, o site do JORNAL CIDADE tem destacado a realização de mais essa jornada cultural.

 

(Informações, com adaptações e acréscimo de dados: Comunicação Setorial da Secult)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!