Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 19 de junho 2019

Criado em Uruaçu, 2º CONSEG tem Joubert Noleto na presidência

No passado Uruaçu contou com um Conselho Comunitário de Segurança e Direitos Humanos, que teve as atividades paralisadas. Por essa razão, a nova representação leva o termo 2º na denominação. Diretoria eleita atuará por três anos, sob presidência de Joubert Noleto.

 

2º Conselho Comunitário de Segurança e Direitos Humanos de Uruaçu, presidido por Joubert Noleto (dir.): minimizando fatores e prevenindo crimes – Fotos: Divulgação/2º CONSEG

 

Parte da ata de constituição do 2º CONSEG de Uruaçu, com a relação de diretores

 

O mandato tem duração de três anos. Munícipes participando do contexto da Segurança Pública

 

2º CONSEG de Uruaçu: trabalho em equipe, interagindo. Os Conselhos Comunitários de Segurança e Direitos Humanos existem nas três instâncias: municipal, estadual e federal

 

Edital publicado, convocando interessados moradores de Uruaçu

 

Na noite de 7 de março, a cidade nortense ganhou oficialmente o 2º Conselho Comunitário de Segurança e Direitos Humanos de Uruaçu (2º CONSEG de Uruaçu). Parte da ata publicada nesta reportagem traz a composição completa (diretoria e Conselho Fiscal [voluntários efetivos e suplentes]), presidida pelo comerciante Joubert Nunes Noleto, com atuação no triênio 2019-2022.

Em dados (adaptados pelo JORNAL CIDADE) da Secretaria da Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), ‘a definição de CONSEG se encaixa perfeitamente à orientação do artigo 144 da Constituição Federal (CF) do Brasil, quando diz que a preservação da ordem pública é dever do Estado, porém, direito e responsabilidade de todos. Contudo, a ideia do Conselho Comunitário de Segurança surgiu para criar um espaço onde todos poderiam se reunir e pensar estratégias de enfrentamento dos problemas de segurança, tranquilidade e insalubridade da comunidade, orientados por uma filosofia de Polícia Comunitária’.

Grupos que criam espaços de discussões de estratégias para o enfrentamento de problemas de segurança e na manutenção da tranquilidade nas localidades (cidades num todo e, nos bairros de grandes metrópoles), existem dezenas de Conselhos Comunitários de Segurança em Goiás. Basicamente, eles são formados por lideranças comunitárias e de outros segmentos que se agrupam visando discutir, analisar, acompanhar, resolver problemas relacionados à segurança, estreitando a relação, integração Polícia-comunidade.

Em informações da Assessoria de Imprensa do Ministério da Justiça (MJ), o Conselho Nacional de Segurança Pública (Conasp) foi criado em 1997. Nas Unidades da Federação, atua um estadual em cada, através das Secretarias Estaduais de Segurança, que têm, no Municípios, os Conselhos Comunitários de Segurança e Defesa Social.

Realizado no Plenário da Câmara Municipal, o evento da eleição ofereceu também palestra (abordando os objetivos e as finalidades do Conselho), ministrada por Afonso Antonio Gonçalves Filho (doutor Afonso), promotor de Justiça; e, Tenente Coronel Maxwell, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar do Estado de Goiás, sediado em Uruaçu.

 

Joubert: ‘Oferecer melhores condições’

Atendendo a reportagem do JC, Joubert Noleto ressalta: “Estamos com muita responsabilidade e, pela segunda vez, criando o Conselho”. Afirmando que os diretores sabem das dificuldades existentes no País para se praticar filantropia, o presidente categoriza: “Temos, como cidadãos, que fazer nossa parte. Não podemos ficar quietos, cobrando do Estado”.

Manifestando ser preciso, sim, oferecer melhores condições para as crianças e os adolescente, além de novos valores e uma visão de que só a educação pode mostrar um País mais seguro, Joubert vê que o maior problema hoje, a criminalidade, reina exatamente pela falta de projetos educacionais qualificados e mais abrangentes voltados para as pessoas dessas faixas etárias de vida.

“Mesmo porque o objetivo do Conselho é trabalhar mais com a prevenção do que com a repressão”, avalia, acrescentando que os diretores defendem total apoio às forças policiais. “O Conselho é composto por cidadãos do bem, que, em conjunto com o presidente, estarão buscando melhores alternativas para nossa comunidade”, antevê.

 

Vice Wandresley: ‘Fazer o melhor possível’

Perguntado como se sente em poder ajudar e quais são as expectativas, o vice-presidente Wandresley Mota Menezes (Deley), também comerciante, diz ter satisfação imensa por ocupar a função.

“Com esse cargo e com o apoio de todas as instituições participantes, buscaremos fazer o melhor possível em promoção da segurança e dos direitos humanos. Já existiu um, que não foi para frente. O 2º CONSEG é formado por novos membros e com total apoio das mais diversas instituições”.

Além dos nomes citados e, os da lista da ata, participaram, entre outros colaboradores: o delegado municipal Rafhael Neris Barboza; doutor Rodrigo Pereira, delegado regional; Moacir Galdino, chefe de Gabinete da Prefeitura de Uruaçu, representando o prefeito Valmir Pedro (PSDB); Capitão Dutra, comandante do Corpo de Bombeiros; Tenente Coronel Vilela, diretor do Colégio Militar Dr. Francisco Antônio de Azevedo; e, Cristiano Ribeiro de Sousa, presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Uruaçu (Aciau).

 

Comandante Maxwell: ‘Contribuição com órgãos’

Comentando que o novo Conselho – apoiador na construção de novo modelo de segurança, em que permanente comunicação é uma realidade –, contribuirá em muito para a melhoria da prestação de serviço dos órgãos de segurança da região, o comandante do 14º BPM cita a Polícia Militar, a Polícia Civil (PC), o Corpo de Bombeiros e a Polícia Técnico-Científica, ambas de sedes regionais na localidade.

“O Conselho será um ‘divisor de águas’ para a Segurança Pública de Uruaçu, tem a sua importância e, é composto por cidadãos e cidadãs preocupados com os destinos da comunidade, assessorando e buscando medidas efetivas nas ações preventivas e repressivas para o combate à criminalidade”, salienta Maxwell, lembrando que, “ao mesmo tempo, desempenha ações, projetos e atividades de cunho educativo visando a prevenção ao crime”.

 

(Jota Marcelo e Márcia Cristina)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!