Cooper-Rubi investe na cogeração de energia

Unidade goiana é autossuficiente e pretende aumentar a exportação para a rede este ano. Para esse incremento de produção, a unidade investiu na aquisição de novos equipamentos, como gerador, turbina, transformador e painéis de acionamento. 

 

Usina goiana Cooper-Rubi é autossuficiente de energia durante a safra – Fotos, inclusive a da página principal: Comunicação

 

 

A cada dia mais a bioeletricidade se mostra importante para a matriz energética brasileira, sendo a terceira principal fonte, atrás apenas das hidrelétricas e da energia eólica. Por isso, muitas usinas têm investido nesse produto. A Cooper-Rubi, usina localizada em Rubiataba-GO, é 100% autossuficiente e ainda exporta energia para o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Segundo o gerente industrial da Cooper-Rubi, Nilson Gonçalves, a usina contribui com a geração de energia desde maio de 2020, injetando energia limpa e renovável no SIN. “Com a portaria do Ministério de Minas e Energia [MME] iremos ter ainda mais incentivo para aumentar nossa produção e disponibilizar uma maior quantidade de energia proveniente do nosso excedente de vapor. Para isso estamos investindo em novos equipamentos de última geração e que possibilitem uma maior eficiência na produção energia disponível na unidade”, pontua.

A expectativa para este ano é superar em 10% a produção anterior –, que foi de 20.020.776,154 kWh quilowatt-hora (kWh) –, e exportar 22 milhões KWh para a rede. Para esse incremento de produção, a unidade investiu na aquisição de novos equipamentos, como gerador, turbina, transformador e painéis de acionamento. Este é o segundo ano que a usina gera energia elétrica.

Em 2020, a unidade produziu 72.386.240 kWh de energia, proveniente apenas do bagaço da cana-de-açúcar e, abasteceu todo o Parque Industrial e o setor administrativo, os sistemas de irrigação, de captação e, agrícola da unidade.

A usina goiana é autossuficiente de energia durante a safra. E isso representa vantagem para a unidade, significa redução do desperdício de energia útil, com maior economia de combustível, redução da emissão de poluentes, além de geração de excedentes como fonte de receita.

 

A cogeração no Brasil

No primeiro semestre deste ano, a geração de energia elétrica para a rede pela fonte biomassa, da qual o setor sucroenergético costuma representar mais de 80% do total, foi de 12,2 mil GWh.

Esse número representa 16% de toda a geração de energia elétrica pela Usina Itaipu em 2020 e pode atender 6,3 milhões de residências.

 

(Informações: Comunicação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!