Conheça as ações e conquistas do Sistema Faeg/Senar/Ifag em prol do produtor goiano em 2021

O que foi plantado em 2021, certamente resultará em grandes colheitas e muito mais sementes para serem semeadas no vasto campo do agronegócio de Goiás.

Registro feito durante convenção de final de ano com trabalho vivencial. Toda a equipe foi testada e por isso o não uso de máscaras durante a foto – Foto (acima/página principal): Fredox Carvalho/Sistema Faeg/Senar/Ifag

 

Neste ano que se encerra, como já é de praxe, porém com mais desafios, o time do Sistema Faeg/Senar/Ifag trabalhou incansavelmente para buscar soluções para as demandas dos produtores rurais. Foram diversas ações com resultados muito promissores para todo o agro e a sociedade goiana.

Em 2022, a instituição seguirá criando estratégias para melhorar e fortalecer o setor que alimenta o mundo, além de manter a missão de levar conhecimento, qualificação, assistência técnica, inovações tecnológicas, melhoria de produção, renda e qualidade de vida. O que foi plantado em 2021, certamente resultará em grandes colheitas e muito mais sementes para serem semeadas no vasto campo do agronegócio de Goiás.

 

Ações e conquistas do Sistema Faeg/Senar/Ifag em prol do produtor goiano em 2021

A Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), destaca no segmento tributário e de crédito, o retorno dos benefícios fiscais para operações interestaduais do algodão, alho, feijão, milho e peixe, que haviam sido retirados pela Lei Complementar nº 160/2017. Outro ganho foi a aprovação pelo Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) da Resolução 001/2021, de 26 de fevereiro, que aumentou o teto de financiamento do setor rural de R$900 mil para R$1,5 milhão por CPF e para R$3 milhões para as atividades de avicultura e suinocultura.

Também nessa lista estão a renovação do Convênio ICMS 100/97, que reduz a base de cálculo do imposto nas saídas de insumos agropecuários, e do Convênio 52/1991, que concede redução da base de cálculo nas operações com máquinas e implementos agrícolas. Outras conquistas foram a integração da Guia de Trânsito Animal (GTA) e a Nota Fiscal Avulsa Eletrônica (NFA-e), facilitando a movimentação e comercialização de gado pelo produtor rural, e a publicação da lei 21.077, de 1º de setembro de 2021, que, segundo técnicos da Faeg, corrige “uma grave distorção, dando a remissão de milhares de multas imputadas a produtores que, mesmo sendo isentos de ICMS nas operações internas, foram autuados e multados por transportarem gado, sem nota fiscal, mas acompanhado de GTA”.

Na área de meio ambiente e recursos hídricos, a Faeg teve participação direta nas discussões sobre adequação do Sistema Ipê (novo sistema de licenciamento ambiental de Goiás); também participou e contribuiu para a construção de decretos, como os referentes a Declaração Ambiental do Imóvel (DAI), compensação ambiental e por danos ambientais, o de auditorias ambientais e do enquadramento de atividade primárias.

A entidade também contribuiu para a construção da Instrução Normativa 15/2021, criando o Termo de Outorgas Temporário, e para a emissão do marco regulatório da Bacia Hidrográfica do São Marcos. Além disso, participou das discussões dos Comitês das Bacias Hidrográficas (CBH) dos rios Corumbá, Veríssimo e São Marcos.

Somam-se a essas ações e conquistas neste ano: o apoio na coordenação e priorização para a construção dos projetos para pavimentação e/ou manutenção de rodovias estaduais, construção de pontes e cortes de serra, com recursos doados pelos produtores e entidades representativas dos produtores rurais; a construção e divulgação do índice de variação dos preços de insumos ligados à pecuária de leite no Estado, o ILC, e a manutenção da antecipação do plantio da soja em Goiás em cinco dias.

Além disso, a Faeg, juntamente com outras Federações da Agricultura, conseguiu aprimorar o zoneamento do milho segunda safra. Também participou e contribuiu nas discussões sobre a regulamentação do novo decreto de sementes. Esta norma modificou vários pontos, como o Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem), o Certificado de Sementes e Mudas e, principalmente, a utilização de sementes por parte dos agricultores.

 

Senar Goiás: superação e inovação marcam 2021

Superação é uma das palavras mencionadas como resumo do ano de 2021 para o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás). Soma-se a ela, inovação, conforme destaca o superintendente da entidade, Dirceu Borges. “Desde o início da pandemia fomos obrigados a buscar alternativas e a inovação foi uma das principais delas para que a gente chegasse ao produtor, mesmo de forma remota, seja com assistência técnica, lives, formação profissional, entre outras”, pontua.

As ações do Senar na área de tecnologia foram diversas e em todos os segmentos. Exemplos são a adoção de material didático com tecnologia 3D e parceria com o Apporteira, que levou condições melhores de negociação aos produtores rurais do Estado.

Com a vacinação contra Covid-19 em andamento, Dirceu cita que algumas ações presenciais foram retornando de forma gradual, até que no segundo semestre de 2021 ocorresse a retomada de quase totalidade das atividades desenvolvidos pelo Senar “com 100% da qualidade que prezamos”. Ao todo, mais de 280 mil pessoas foram beneficiadas pelos programas do Senar Goiás, neste ano. Entre os destaques: recorde no número de visitas realizadas pela Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), que ultrapassou 112 mil; incremento em mais de 3 mil no quantitativo de alunos matriculados nos cursos de Educação a Distância (EAD) na comparação com 2020; e a arrecadação e doação de 30 mil cestas de alimentos por meio do Agro Fraterno.

“O Senar Goiás, desde o início da pandemia, não parou as ações em nenhum momento, até porque um dos setores que não paralisaram foi o agronegócio, então, não pudemos parar também. Buscamos fazer lives, modelos virtuais, híbridos, para manter as ações do nosso portfólio”, informa Dirceu. Segundo ele, inovações como uso de realidade virtual e realidade aumentada, aplicadas com pioneirismo pela entidade nos cursos de capacitação, “vieram para ficar” e serão ampliadas.

“Estamos sempre buscando inovações para o portfólio ser sempre atrativo, com participação em eventos, inclusive fora, como a Web Summit, em Lisboa [em novembro], tentando buscar o que está acontecendo de novidade no mundo e em outras regiões, também cedendo cursos para outras regionais”, cita. Esse processo também inclui, segundo Dirceu, escutar os produtores e sindicatos rurais. “Vendo o que acontece na ponta para buscar soluções para os gargalos que os produtores têm, seja por meio de capacitação, inovação, startups e outras soluções, ou assistência técnica”, diz.

Presidente do Sistema Faeg/Senar/Ifag, o deputado federal Zé Mário Schreiner destaca que a atualização e qualificação são fundamentais para acompanhar as mudanças tecnológicas, as novas formas de comercializar produtos, urbanização e processos cada vez mais especializados. “Por isso, o Sistema Faeg Senar tem a missão de abraçar todas essas questões que impactam diretamente o mundo rural e mostram a importância da qualificação de produtores e trabalhadores do campo, para lidar com novidades que surgem a todo momento. Porque a capacitação direcionada e bem comunicada gera transformação”, frisa.

Zé Mário ressalta ainda que estão “indo além, com um papel social forte”. “Com o programa Agro Fraterno estamos unindo o setor agropecuário para contribuir com cestas de alimentos e destinando para as famílias rurais em situação de vulnerabilidade social. Porque é isso que nos motiva, devolver o voto de confiança aos cidadãos com ações que garantam mais dignidade e qualidade de vida”, frisa.

 

Recorde na assistência técnica

O ano de 2021 foi de recorde no número de visitas de assistência técnica e gerencial realizadas pelo Senar Goiás, desde que esse serviço começou a ser prestado pela entidade, em 2016. Foram mais de 112 mil no total, alcançando cerca de 5 mil produtores, sendo em torno de 2,5 mil novas propriedades cadastradas. “O programa passou a ser mais expressivo, mais conhecido e passamos a ser mais requisitados. E uma das nossas metas do Senar é ampliarmos a assistência técnica ao maior número de propriedades”, aponta o gerente de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar Goiás, Guilherme Bizinotto. Esse aumento refletiu em recorde também na contratação de técnicos que realizam o atendimento. “Esse ano já contratamos mais de 100”, cita.

Após parte de 2020 ser marcado por visitas remotas e contatos via ferramentas digitais aos produtores assistidos pela ATeG, em 2021, 95% das visitas dos técnicos do Senar Goiás às propriedades atendidas pelo programa voltaram a ocorrer em formato presencial, com a adoção de todos os protocolos sanitários de segurança, segundo Bizinotto.

Essa retomada das visitas presenciais é celebrada pelo gestor do Departamento Técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique Silva. Ele aponta que um grande diferencial da ATeG é a capacidade de relacionamento com as famílias assistidas. “Sentar-se à mesa, tomar um café, discutir as dores e encontrar uma saída em conjunto com o produtor. Nosso técnico não vai com receituário e vai embora”, explica.

A Assistência Técnica e Gerencial oferecida pela entidade tem duração de dois anos e inclui visitas mensais às propriedades atendidas. Ao todo, oito cadeias produtivas em Goiás são assistidas pelo programa: pecuária de leite, pecuária de corte, horticultura, fruticultura, grãos, apicultura, piscicultura e agroindústria artesanal – que é a mais nova, lançada em 2020.

Para 2022, esse atendimento será ampliado para além da porteira. Silva explica que já trabalham para implementar ainda no primeiro semestre a Assistência Técnica Cadeia Produtiva. Segundo ele, o projeto piloto será voltado para a cadeia da fruticultura, inicialmente com a cultura da banana. A previsão é de inclusive trazer consultores de outros Estados para contribuir no desenvolvimento desse trabalho. “A Assistência Técnica Cadeia Produtiva vai trabalhar toda a cadeia, antes da propriedade (produção de mudas, insumos…), a estrutura da propriedade, o primeiro tratamento que é feito nas frutas pós-colheita, também encontrando nichos de mercado, consumidores, para que a produção alcance o mercado rápido e possa se tornar economicamente viável”, adianta.

 

Destaques da ATeG em 2021

112.489 visitas técnicas

5 mil produtores atendidos

Um dia de campo pecuária de leite, em São Miguel do Passa Quatro

 

Reforço tecnológico na formação profissional

Durante parte do ano de 2021, a Formação Profissional Rural (FPR) do Senar Goiás contou com a implementação de um formato de minicurso, no modelo de palestras on-line. A partir de julho, de acordo com a flexibilização dos protocolos sanitários, conseguiram retomar as ações presenciais e voltaram a ministrar os treinamentos, segundo informa o gestor do Departamento Técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique Silva.

Ao todo, por meio dos programas de FPR, foram realizados mais de 4 mil treinamentos em 2021, que atenderam 79.128 pessoas. Entre as novidades nos cursos oferecidos esteve a inserção da realidade aumentada 3D, que chegou para citricultura. A tecnologia empregada auxilia o produtor no manejo sanitário de citros, como na identificação de pragas e doenças. O programa conta com o apoio do Campo Lab.

Silva destaca que a realidade virtual está disponível em treinamentos tanto na área de mecanização quanto de fruticultura. “E isso está sendo muito positivo e a demanda por esses treinamentos é crescente a cada dia”, cita.

Para 2022 a perspectiva projetada no plano anual da FPR é oferecer 6 mil treinamentos. O gestor menciona que os programas oferecidos pelo Senar Goiás terão continuidade e um deles, o Faeg Jovem, trabalhará com o tema: Tudo é Agro. “E dentro dessa dinâmica vai trabalhar a questão da sustentabilidade do ponto de vista social, econômico e ambiental, envolvendo diversas ações executadas pela Faeg Jovem nos diversos Município que atuam”, cita.

 

Em 2021, o programa Faeg Jovem realizou 1.115 ações, alcançando 6.690 participantes

“Só em agricultura urbana foram 90 projetos desenvolvidos, que culminaram na produção de 4 toneladas de composto orgânico e de mais de 40 toneladas de alimentos, associados à doação de 1.500 mudas de plantas medicinais e plantio de 3.500 árvores” destaca Leonnardo Furquim, gerente de Formação Profissional Rural do Senar Goiás. Em outra frente, o programa Faeg Jovem realizou 450 lives, arrecadou 5 mil cestas de alimentos para doação e realizou 317 ações sociais, beneficiando 28.922 pessoas. Ainda promoveram 299 eventos técnicos, que beneficiaram 16.686 pessoas. “Somos a maior Federação Jovem do País, com mais de 110 grupos consolidados em todo o Estado”, frisa Furquim.

Ao todo, foram 17 novos treinamentos promovidos em 2021, via FPR. Para 2022 oito novos treinamentos já estão previstos, entre eles: Aquaponia e Suinocultura Tecnificada.

Também estão previstos para o próximo ano novos programas especiais. São eles: Programa de Gerentes Agropecuários Padrão Senar, Senar Rural-Viola Caipira e Semana Senar nas Instituições de Ensino.

 

Destaques FPR 2021

79.128 participantes

17 novos treinamentos

 

Maior adesão ao ensino à distância

Gestor do Departamento Técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique Silva destaca que os treinamentos realizados via Educação a Distância (EAD) foram os que menos sofreram impacto em relação a pandemia. Ao todo foram 29.388 pessoas de todas as regiões do Estado matriculadas nos cursos EAD, cerca de 3,6 mil a mais que o quantitativo registrado em 2020, de 25.787 alunos.

Entre os quase 50 cursos gratuitos oferecidos nessa modalidade, a gerente de Educação Formal do Senar Goiás, Mara Lopes de Araújo Lima, destaca o lançamento do English Farm em 2021. “É um produto inovador, um curso de inglês voltado para linguagem agro”, aponta. Foram mais de 700 alunos inscritos na primeira turma. Outros cursos que ela apresenta entre as novidades do ano são o de Boas Práticas Agropecuárias para Queijarias Artesanais e Boas Práticas para Fabricação de Queijos Artesanais. “Contribuem para que a pessoa interessada possa buscar o Selo Arte”, cita. Para 2022 estão previstos o lançamento de mais cinco cursos EAD, entre eles, um de bioinsumos, assunto que vem ao encontro de uma demanda crescente em âmbito mundial: a sustentabilidade ambiental.

Em relação aos cursos técnicos, que tiveram 171 alunos matriculados distribuídos em oito Municípios, Mara destaca a abertura do curso Técnico em Fruticultura, em Anápolis. E, para 2022, já estão previstos a abertura de polo do curso Técnico em Fruticultura em Itaberaí, o lançamento do curso Técnico de Zootecnia, em Britânia e a ampliação das vagas no curso de Técnico em Agronegócio. E no âmbito do ensino superior, são quatro graduações ofertadas: Gestão do Agronegócio, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Ambiental e Processos Gerenciais, sendo Goiânia e Alexânia polos em Goiás.

Outras novidades na área de educação para o próximo ano incluem o lançamento de duas especializações técnicas: uma em Comercialização e Logística de Produtos Agrícolas e outra em Gestão da Propriedade Rural. Além disso, pelo programa Líder Agro serão lançados seis cursos, o dobro do número que estreou nesse ano, quando foram registradas 1.540 matrículas em um total de aproximadamente 50 Municípios.

 

Destaques Educação Formal 2021 – Programas – Número de matriculados

EAD – 29.388

Curso Técnico – 171

Aprendizagem Profissional Rural – 167

Líder Agro – 1.540

Faculdade CNA – 62

Total – 31.328

 

Promoção social ampliada

Entre os programas de promoção social conduzidos pelo Senar Goiás em 2021, o Agro Fraterno foi um dos destaques. “Resolvemos, por meio do presidente Zé Mário, priorizar a entrega das cestas de alimento para essas famílias de Municípios do interior, assentamentos rurais, que também sofreram com a pandemia. A gente até imaginou que não seria uma demanda tão grande, mas encontramos um grande vazio social no campo”, explica o gestor do Departamento Técnico do Senar Goiás, Flávio Henrique Silva. Por meio do programa foram entregues 30 mil cestas a famílias rurais em situação de vulnerabilidade social, em 125 Municípios. Para 2022, ele diz que continuarão “vigilantes” e, se necessário, o Agro Fraterno terá continuidade.

Já as ações do Campo Saúde foram retomadas em julho. “Adotamos protocolos sanitários para garantir e reforçar a prevenção contra a Covid-19”, diz. Uma novidade foi a aquisição pelo Senar Goiás de um ônibus equipado com três salas para atendimento médico, que começou a rodar os Municípios goianos. “Em 2022, a unidade móvel do programa vai percorrer todos os cantos do Estado levando os exames preventivos, consultas e demais serviços de saúde e cidadania”, informa. Neste ano os atendimentos pelo programa já beneficiaram 17.919 pessoas, em cerca de 20 Municípios.

A equoterapia, que começou a ser retomada de forma gradual a partir do segundo semestre de 2021, já contabiliza 20.424 atendimentos realizados em 24 centros do programa, do total de 36 existentes. “Queremos investir bastante na equoterapia em 2022”, diz Silva.

Outro destaque foi a realização de oito festivais de Receitas do Campo. O programa contou com 1.200 participantes. “Em 2022, a gente pretende fazer 20 festivais de Receitas do Campo no interior, alguns deles temáticos, segundo característica do Município contemplado, como pequi em Araguapaz, queijo cabacinha, em Santa Rita do Araguaia”, cita.

Ao todo, via Gerência de Promoção Social do Senar Goiás também foram realizados ainda mais de mil treinamentos, que atenderam 13.563 participantes. Para 2022, está previsto o lançamento de nove treinamentos, entre eles, de turismo rural.

 

Agrinho

Em 2021 também ocorreu o lançamento do 2º Desafio Agrinho, que recebeu a inscrição de 142 escolas, pertencentes a 12 regionais. Doze instituições de ensino foram premiadas com uma televisão e um computador. Para o ciclo 2022, Silva informa que o tema do programa continuará a ser Inovação no Campo e na Cidade, com Tecnologia e Sustentabilidade. Segundo ele, é esperada a adesão de mais de 2 mil escolas do Estado. “E, no final do ano, vamos fazer uma grande cerimônia de premiação, sendo previstos dois carros zero quilômetro para os melhores trabalhos”.

 

Ações de inovação

Em 2021, o Campo Lab atuou em várias frentes, com busca e apresentação de tecnologias aos vários setores do Sistema Faeg Senar Ifag. As iniciativas incluíram parcerias com empresas de pesquisa como a Embrapa, centros universitários como a UFG, UEG, IF Goiano, IFG, UFJ, Sistema OCB Sescoop, EsalqTec e Sebrae. Foram realizadas reuniões com startups nacionais e internacionais e novos projetos e programas estão sendo vislumbrados para 2022.

Entre as realizações em 2021, foi realizado o programa Desafio Agro Startup, que em parceria com o Sebrae capacitou mais de 50 empreendedores de Goiás e outros Estados brasileiros.

O programa Conecta Campo, por sua vez, capacitou e integrou em uma rede 16 produtores, seus familiares e colaboradores, com temas ligados à inovação tecnológica, aliando teoria e prática.

Um software foi desenvolvido no Campo Lab para proporcionar gestão zootécnica da bovinocultura de leite: o LeiteBem, que possui versão mobile e desktop, e conta com mais de 650 produtores conectados em todo Brasil.

No Campo Lab também foi desenvolvido o aplicativo Rodopontes. Por meio dessa ferramenta o usuário pode, com seu celular, registrar desde estradas esburacadas, até pontes com problemas estruturais ou caídas. Essas informações são tratadas e repassadas às instituições governamentais para as devidas providências. Essa iniciativa repercutiu nacionalmente, e levou a uma maior atuação conjunta da Faeg, Goinfra e até mesmo Ministério da Infraestrutura.

Outra novidade foi a assistente virtual para o WhatsApp. Por meio de tecnologias de inteligência artificial, o Sistema Faeg foi a primeira federação do Brasil a ter um chatbot com número oficial a fornecer o atendimento virtual automatizado aos produtores rurais e demais usuários dos serviços e informações do Sistema Faeg/Senar/Ifag.

 

(Informações: Comunicação Sistema Faeg/Senar/Ifag)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!