RELIGIÃO

PADRE CRÉSIO RODRIGUES

RESPOSTA SOBRE O VÍDEO QUE ACUSA O PAPA DE HERESIAS

Em função de vídeo que circula nas redes sociais e nos aplicativos, acusando o chefe da Igreja Católica, Padre Crésio, da Paróquia São José Operário, de Uruaçu, faz esclarecimentos. ‘Em tempos apocalípticos não poderia ser diferente, o sucessor de Pedro à frente da Igreja do Senhor desperta a fúria de satanás’, avalia o autor do texto. Leia.

 

Foto: Vatican Media/AFP

 

RESPOSTA SOBRE O VÍDEO QUE ACUSA O PAPA DE HERESIAS

 

Chegou a mim,  via  rede  social,  uma  montagem  contra  o  Papa,  um  vídeo  de  5 minutos que acusa Francisco, líder da fé católica. Faço agora um comentário aos recortes e montagem deste vídeo pra restabelecer a verdade que não deveria ter sido burlada.

Estamos submersos numa onda de  fake news e o Papa tem sido vítima de muitas delas… Em tempos apocalípticos não poderia ser diferente, o sucessor de Pedro à frente da Igreja do Senhor desperta a fúria de satanás que continua tentando confundir Adões e Evas… Ao invés de crer inocentemente nestas mídias que combatem este servo de Deus, é melhor observar o que ele faz… A perseguição ao líder da Comunidade de Jesus foi anunciada (Lucas 22, 31-32 e João 21,18) e não cessou até hoje. Vamos resumir em cinco pontos o conteúdo veiculado neste vídeo asqueroso e ímpio.

 

  1. A CRUZ ABAIXO DO PAPA => O Papa está diante (não acima) do Crucificado, apresenta o símbolo religioso aos que rezam com ele, está no alto como dirigente do momento orante e celebrativo. Não tem nada a ver com a interpretação ideológica dessa mulher com veste enganosa. Se fosse assim nem poderíamos levar um crucifixo ao peito, teríamos que colocá-lo preso acima de nossa cabeça (que burrice!). Quando Bergolio foi eleito Papa os argentinos expuseram uma imagem dele esculpida por Fernando Pugliese em Buenos Aires… O Papa ao saber disso mandou retirá-la imediatamente. Ele não gosta de autorreferência e culto a personalidade, combate isto alertando o clero a ser humilde.

 

  1. ONU E FRANCISCO => Como seus antecessores, este Papa não tem conluio ou complô com a ONU, não endossa ideologia de nova ordem mundial ou socialismo: aprova a ONU nas ações humanitárias e lhe exorta como profeta do Evangelho. Na ONU, ele conclamou ao cuidado com o planeta e a proteção dos pobres, falou contra a guerra entre as Nações, fez a defesa da mulher discriminada e oprimida, exortou à união da humanidade e exortou sobre a promoção justiça (25/09/2015). É isto que o Papa FAZ, e os inimigos da fé inventam coisas sobre ele a fim de ganhar seguidores nas mídias sociais.

 

  1. SOBRE HERESIAS MENCIONADAS NO VÍDEO
  2. a) Adão e Eva não existiram + Deus não criou o mundo + Explosão do Big Bang como certo + Teoria da Evolução como parte do plano divino => O Papa NUNCA disse que Deus não criou o mundo. Que absurdo! O que disse foi que não criou o mundo de modo mágico com uma vara de condão, tudo pronto e acabado, mas, que Deus criou com possibilidade de desenvolvimento e, de fato, o mundo desenvolveu. A ciência NÃO CONTRADIZ a Criação Divina, Deus está na origem e os seres criados são sujeitos a mudanças com o passar dos séculos. Big Bang: a energia inicial, o pontapé de toda a criação, é obra de Deus. Como Ele fez pode ter sido passo a passo, isto não significa negar o poder que Ele tem de fazer tudo de uma vez. Além disso, as explicações de conciliação entre ciência (teorias da origem e evolução) com Teologia (Bíblia) não é invenção nova deste Papa, seus antecessores Pio XII, Paulo VI e João Paulo II falaram disto abertamente. Notem a maldade de quem corta as falas do Papa e publica só uma parte ou entrega mastigado ao leitor uma interpretação fácil que não corresponde ao que o Papa está ensinando.
  3. b) Deus Fracassou em seu filho Jesus => Esse modo de se expressar é conhecido na literatura como “ironia” (parte negativa em um discurso) que antecede a “maiêutica” (parte positiva e meta do discurso). É uma linguagem socrática, ou estilo literário mui usado antigamente, inclusive na Bíblia. Veja, por exemplo. “Se alguém vem a Mim e não odeia seu pai e mãe, mulher, filhos, irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser Meu discípulo” (Lucas 14, 26). Aqui Jesus NÃO está mandando propriamente ODIAR/aborrecer as pessoas a quem devemos amar muito… É apenas um estilo de linguagem para RESSALTAR como é muitíssimo mais importante seguir a Jesus do que os pais e outros parentes. A linguagem antitética exagera de um lado pra fazer ver o grande valor do outro lado. A Bíblia não é de fácil interpretação. Mas, isto não sabe quem não estuda e prefere decorar versículos pra atacar os outros. No caso em estudo, o Papa fala do fracasso pra enfatizar a grandeza da vitória da ressurreição (porém, após três dias ele venceu a morte e ressuscitou). É um aparente fracasso, é uma derrota grande, mas, provisória e minúscula ante a glória que vem em seguida. Além disso, o Papa usa a expressão “humanamente falando”, isto é, aos olhos do homem que só busca sucesso nesta terra e não tem visão espiritual (neste caso, Jesus Cristo teria que ter mandado cair raios sobre os inimigos, matá-los e não morrer na cruz). Pra quem gosta de Bíblia, recordem a passagem de Isaías 53 que trata do “fracasso” do Servo Sofredor, imagem do futuro salvador da humanidade.
  4. c) Os marcianos podem se batizar => A frase em discussão é a seguinte: “Se, por exemplo, uma expedição de marcianos aparecer e um deles vir até nós e pedir para ser batizado, o que aconteceria? Eu batizaria”, disse o Papa. Atenção!: Francisco não afirmou que existam marcianos. Trata-se de uma exemplificação para mostrar a importância de buscar a Deus e pedir o batismo. É um recurso de linguagem para dizer que Deus pode atrair a todos e a Igreja deve acolher mediante o batismo. Trata-se de uma fala metafórica, comparativa, com o seguinte significado: qualquer ser humano que queira participar da Igreja tem acolhida pelo batismo. Se o Espírito Santo leva até o ser mais incomum a pedir o batismo, quem somos nós para negá-lo? Não há nenhuma defesa de existência de extraterrestres, inclusive o Papa usa a partícula condicional “se”. Por exemplo: se Maria santíssima tivesse dito “NÃO”, certamente Deus arrumaria outro jeito… Mas, já sabemos que este é um “se” totalmente descartado. Do mesmo modo, a exemplificação dos marcianos na fala do Papa.
  5. d) União civil mesmo sexo deve ser aceito pela Igreja? => Lei de UNIÃO civil exatamente para diferenciar de CASAMENTO; visa proteger pessoas na justiça social unicamente, proteger a parte frágil da relação, o direito humano aqui é sobre não opressão nem exploração de um pelo outro, o direito humano jamais se refere ao ato homossexual pecaminoso, já que do ponto de vista espiritual continua sendo pecado. O Papa, em outros vários pronunciamentos, deixa límpida a doutrina cristã sobre o matrimônio entre homem e mulher. Ao falar de lei sobre união (não casamento) civil, o papa tenta remediar uma situação social inelutável, que está aí, seu humanismo neste tema visa diminuir a dor de famílias que têm homossexuais e diminuir a discriminação dessas pessoas. Contudo, elas são exortadas a viver segundo os mandamentos de Deus. “Amoris laetitia” (Alegria do amor), Sínodo Ordinário da Família, outubro de 2015, cerca de duzentas páginas, doutrina católica que deve ser seguida pelas Dioceses do mundo. No documento, o líder católico afirma que a Igreja não deve discriminar os homossexuais, mas, que o casamento entre pessoas do mesmo sexo não está “no desenho de Deus”. O texto ainda mostra uma posição enérgica do Papa sobre organizações que tentam interferir no assunto. “É inaceitável que as Igrejas locais se submetam às pressões neste tema e que os organismos internacionais condicionem ajudas financeiras aos Países pobres após a introdução de leis que instituem o ‘matrimônio’ entre pessoas do mesmo sexo”.
  6. f) Ele não acredita nas palavras de Paulo, Francisco quer mudar a Bíblia => Essa conclusão é fajuta, leviana, maldosa e interesseira em desqualificar aquele que prega a Palavra de Deus com amor e plena entrega. É uma conclusão de sofisma, estudem os sofistas, eles usam argumentos falsos pra chegar à conclusão que previamente estabeleceram por próprio interesse, não são intelectuais honestos, mas, imorais, enganadores das mentes de fraco raciocínio, de pouco estudo e sem visão crítica.

 

  1. SALA PAULO VI, CABEÇA DA SERPENTE => Sobre o formato do teto da Sala Paulo VI, de Pier Luigi Nervi, encomendada em 1964 e inaugurada em 1971. Não foi intenção nem interesse daquele Papa aprovar qualquer ocultismo. O formato da sala deve ser visto apenas como obra de arte moderna. E, como se sabe, dependendo do contexto, a serpente representa o diabo (Gen. 3, 1-15) e em outro contexto é símbolo do Ressuscitado (Num 21, 8 e João 3,14-15) que cura os enfermos. No caso da Sala Paulo VI, ela jamais pode se encaixar como símbolo diabólico, exatamente porque ali é lugar de oração, invocação da Santíssima Trindade, lugar de instrução catequética, espiritual e até de exorcismos. Nas Escrituras háigual dualidade simbólica com o leão: muitas vezes, esse animal é associado a coisas positivas (como a coragem, e o próprio Cristo, Leão de Judá) e, outras tantas vezes aponta para coisas más (traição, tirania, violência e o próprio demônio – 1Pd 5, 8). Tal dualidade de sentidos ocorre também com a água que mata soldados egípcios e salva o povo da aliança; o fogo pode ser do inferno ou do Espírito Santo… É preciso um pouco de estudo de literatura para não fazer confusão, um pouco de sabedoria, humildade e fé no Espírito Santo.

 

  1. MONUMENTO PESSOA QUEIMANDO NO INFERNO => Trata-se do monumento “A Ressurreição”, do escultor Pericle Fazzini, localizada dentro da Sala Paulo VI. A obra foi encomendada em 1965 pelo Vaticano como pano de fundo ao moderno salão, que é usado pelo Papa em suas catequeses semanais quando não é possível realizá-las na Praça São Pedro por causa do tempo ruim. A escultura em bronze, com 20 metros de largura e sete de altura, pode parecer assustadora para muita gente. Na verdade, ela representa Jesus saindo de uma cratera no Jardim do Getsêmani. No dia da sua inauguração, em 29/09/1977, a obra foi descrita assim pelo jornal L’Osservatore Romano“Um  Cristo  que  ressuscita  de  um sepulcro situado no Horto das Oliveiras, enquanto a terra é sacudida violentamente por uma grande  tempestade, que flagela o mundo nesse momento terrível: um rosto extraordinariamente sereno, dois braços abertos, quase querendo abarcar a humanidade, para devolver-lhe esse sentido do amor que parece irremediavelmente perdido”.

 

Os que nós dizemos crentes, discípulos de Jesus, devemos ter prudência pra não aumentar o fosso divisório que a História já registra. Atacar cruelmente um homem como o Papa Francisco é no mínimo falta de caridade, mas, também grande ignorância religiosa e espiritual. Coisa de seitas anticlericais! Sugiro que oremos uns pelos outros, mesmo com as diferenças de credo religioso cristão a que pertencemos, que Cristo e seu reino imperem sobre nossas fraquezas, e brilhe no mundo Sua Luz. Amém.

 

Pe. Crésio Rodrigues

Uruaçu – GO

 

Nota da Redação: conteúdo também publicado no link Principal. Acesse aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!