Saúde de Aparecida reduz prazo para dose reforço da Janssen para dois meses

Também foi ampliado o esquema vacinal para imunossuprimidos acima de 18 anos. “A pandemia não acabou e há variantes circulando e sofrendo mutações, o que é natural no comportamento dos vírus”, alerta secretário da saúde.

Medida visa reduzir casos de Covid-19, fortalecendo o esquema vacinal da população, reduzindo também as internações e, principalmente, as mortes – Fotos, inclusive a da página principal: Claudivino Antunes/Prefeitura

 

Com bom estoque de doses no estoque e seguindo a norma técnica do Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde de Aparecida reduz de quatro para dois meses o intervalo de aplicação da dose reforço do imunizante Janssen na cidade. A medida visa reduzir os casos de Covid-19, fortalecendo o esquema vacinal da população, reduzindo com isso também as internações e sobretudo mortes causadas em decorrência da doença. Atualmente a SMS conta com 11.985 doses para reforço. A partir desta quinta 30 de dezembro, a população que recebeu a vacina Janssen até dois meses atrás pode receber o reforço.

A imunização com a Janssen era de dose única, mas em novembro deste ano o MS passou a recomendar a aplicação de uma dose de reforço, do mesmo imunizante, até seis meses após a primeira aplicação. “A orientação é baseada em estudos científicos que mostram aumento significativo da imunidade após a aplicação de mais uma dose da vacina”, reforça a coordenadora de Imunização de Aparecida da Pasta da Saúde local, Renata Cordeiro.

 

Imunossuprimidos

A coordenadora pontua que também foi ampliado o esquema vacinal para os imunossuprimidos acima de 18 anos. “Seguindo a orientação do Ministério, os imunossuprimidos devem tomar quatro doses do imunizante contra a Covid-19, reforçando assim a proteção contra a doença. A quarta dose deve ser tomada quatro meses após a aplicação da terceira. Portanto, fiquem atentos e não deixem de se imunizar e se proteger contra a Covid-19”.

Entende-se por imunossuprimido o indivíduo com imunodeficiência primária grave; em tratamento quimioterápico para câncer; transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH), uso de drogas imunossupressoras; pessoas vivendo com HIV/AIDS; uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias; uso de drogas modificadoras da resposta imune; doenças auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias; pacientes em hemodiálise; e, pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

 

“A pandemia não acabou”

O secretário municipal de saúde de Aparecida enfatiza ser importante que todos os moradores busquem os postos de saúde para receber a vacina contra a Covid-19, aumentando, assim, a proteção da população em geral, principalmente, agora, que há transmissão comunitária da variante Ômicron. “A pandemia não acabou e há variantes circulando e sofrendo mutações, o que é natural no comportamento dos vírus, mas que nos deixa em alerta para protegermos a população. Todas as pessoas devem continuar usando as máscaras corretamente, tapando o nariz e a boca, ventilar os ambientes, higienizar as mãos e fazer o distanciamento social sempre que possível”.

Alessandro frisa que “é preciso se vacinar! Quem ainda não se vacinou precisa fazê-lo rapidamente e quem está na hora de completar o esquema vacinal, seja com a segunda dose ou o reforço, deve fazê-lo o quanto antes. A vacinação é comprovadamente fundamental, está salvando vidas no mundo inteiro, todos os imunizantes aplicados são seguros e quanto mais gente vacinada maior será a proteção para toda a comunidade. Cada um deve fazer a sua parte, vacinando-se e cuidando-se, e conversando com familiares, amigos e colegas de trabalho sobre o assunto. Contribua para a conscientização”.

 

(Informações: Imprensa/Prefeitura)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!