Prefeito de Goiânia assina decreto que atualiza tarifas do transporte por táxi, defasadas há seis anos

Última atualização é de agosto de 2015. Texto dispõe sobre valores por bandeirada, quilômetro rodado, hora parada e volume adicional transportado pelo passageiro. “Tarifas já não são compatíveis com realidade atual”, comenta o prefeito Rogério Cruz.

“Alguns profissionais não conseguem trabalhar, mas agora terão motivação para sair às ruas e garantir o sustento”, destaca prefeito Rogério Cruz (centro) – Foto: Jucimar Sousa/Prefeitura de Goiânia

 

O prefeito Rogério (Republicanos) Cruz assinou, na quinta 7 de abrill, em evento no 6º andar do Paço Municipal, decreto que atualiza e fixa a tarifa do transporte individual dos táxis na capital. De acordo com o texto, atualização se faz necessária em virtude do lapso temporal existente desde a última atualização dos valores até a presente data, uma vez que a revisão ocorreu em agosto de 2015.

As tarifas passam a ser ajustadas em 20% sobre o valor atual, o que atende a demanda das entidades de classe da categoria, como renovação de frota a cada dez anos, custos de manutenção e combustível. O decreto passa a valer a partir da data de publicação.

A tabela passa a vigorar com os seguintes valores: R$4,99 por bandeirada; R$3 por quilômetro rodado na Bandeira 1; R$3,75 por quilômetro rodado na Bandeira 2; R$25 por hora parada; R$2,40 por volume adicional transportado, assegurado ao usuário o transporte gratuito de uma mala e dois volumes de mão.

Durante a solenidade, Rogério Cruz exaltou o trabalho desempenhado pelos taxistas na capital, “que requer muita responsabilidade no transporte de pessoas”. “Por isso, me sinto honrado em fazer parte deste momento que traz motivação e dignidade a quem não rodava por falta de condições mediante tarifas já defasadas. Agora, podem sair às ruas motivados para garantir o sustento”, pontuou.

Rogério Cruz destacou um ponto específico, que diz respeito ao trabalho dos taxistas no período noturno. “A atualização da bandeira 2, que é aquela válida para rodar à noite, justifica muitas acusações, inclusive, de que os taxistas não rodam no período noturno. Porém, isso se dava, justamente, pela defasagem nessa tarifa”, observou.

 

Responsabilidade

O prefeito ressaltou que o projeto de reajuste foi discutido em parceria entre Prefeitura, Câmara Municipal e Sindicatos da categoria. “São pontos que discutimos desde o final do ano, com muita responsabilidade, pois são profissionais que não têm suas tarifas atualizadas há seis anos”, informou.

Rogério Cruz salientou, ainda, o papel de “divulgadores de nossa cidade, que homens e mulheres taxistas têm, tanto no transporte de turistas quanto moradores”. “Em especial neste momento de retomada cultural e de eventos, o trabalho desempenhado por vocês é de suma importância”, disse, ao se reportar aos taxistas.

O secretário municipal executivo de Mobilidade, Ciro Meireles, contextualizou o cenário nacional de alta nos preços de combustíveis, o que influencia na operacionalização do transporte. “O reajuste foi alinhado junto às partes técnicas e jurídicas da Secretaria, de forma responsável, sem trazer transtornos à população”, afirmou.

Meireles lembrou, ainda, que os transportes por aplicativo já reajustaram seus valores; “portanto, os taxistas rodavam com tarifas defasadas, daí a necessidade da atualização”. A fala foi corroborada pelo presidente da Coopertag, Roberto da Paixão, que salientou a competitividade das novas tarifas. “Mesmo diante da atualização, temos tarifas similares às do transporte por aplicativo, o que nos dá mais estímulo para trabalhar”, observou.

O vereador Anselmo Pereira (MDB) reconheceu que o decreto, mais do que atender à demanda da categoria, “garante sua subsistência”. “Hoje, temos 1.961 táxis licenciados; porém, cerca de 1.100 não rodam por falta de condições”, ponderou.

 

(Informações: Secom – Prefeitura de Goiânia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!