BH: Justiça condena estado a pagar R$2 milhões a homem que foi confundido com maníaco do Anchieta e ficou 17 anos preso

O artista plástico Eugênio Fiúza de Queiroz foi confundido com o denominado maníaco do Anchieta, autor de vários crimes de estupro em Belo Horizonte na década de 1990. Fiúza foi condenado a 37 anos de prisão em cinco processos criminais.

 

À esquerda, Pedro Meyer, apontado como autor de uma série de estupro; à direita, o artista plástico Eugênio Fiuza de Queiroz – Foto: Reprodução/TV Globo

 

O artista foi preso em agosto de 1995, quando conversava com a namorada em uma praça do bairro Colégio Batista, na região Nordeste de Belo Horizonte. Ele foi reconhecido na rua por uma vítima como autor de estupro e levado para a Delegacia, onde foi reconhecido por mais oito vítimas.

Leia aqui.

 

(Informações: Portal G1 Minas – Patrícia Fiúza/Belo Horizonte)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!