‘Cultivo e Produção de Hortas’ é o novo curso a distância do Senar Goiás

Curso é gratuito para quem deseja aprender as principais técnicas de produção da olericultura. Mercado brasileiro de hortaliças é diversificado e segmentado. Maior parte da produção se concentra nas espécies batata, tomate, melancia, alface, cebola e cenoura.

 

No Brasil, a olericultura gera cerca de 7 milhões de empregos distribuídos em aproximadamente 2,6 milhões de hectares – Foto: Divulgação

 

Olericultura é o nome dado para a atividade do cultivo de hortaliças. Com a busca cada vez maior por uma alimentação saudável, as olerícolas – mais conhecidas como hortaliças –, se tornam protagonistas no prato de quem deseja seguir dieta equilibrada. A produção de olerícolas engloba folhosas, raízes, tubérculos, frutos e bulbos.

De acordo com a Embrapa, o mercado brasileiro de hortaliças é bastante diversificado e segmentado, e a maior parte da produção se concentra em seis espécies – batata, tomate, melancia, alface, cebola e cenoura. Além disso, a agricultura familiar é responsável por mais da metade dessa produção.

No Brasil, a olericultura gera em torno de 7 milhões de empregos distribuídos em aproximadamente 2,6 milhões de hectares, é o que revela o relatório Cenário Hortifruti Brasil 2018 – elaborado em conjunto pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) e o programa Hortifruti Saber & Saúde.

 

Variedade no cultivo

A  possibilidade de diversificação é outra característica muito positiva do cultivo de hortaliças. É possível produzir para consumo próprio, em pequenos espaços, com uma horta caseira urbana. Para quem tem propriedade rural, a produção de hortaliças pode ser ótima fonte de renda, tendo em vista o destaque da agricultura familiar no ranque de produções do setor no País.

Outra forma de envolvimento com a olericultura é por meio de hortas comunitárias, que podem garantir renda extra para a comunidade. Há também as hortas escolares, que favorecem a educação ambiental e alimentar no ambiente escolar.

 

Renda em curto prazo

O ciclo biológico curto das hortaliças proporciona mais de um cultivo por ano, gerando boa rentabilidade para os produtores. O ciclo médio da alface, por exemplo, é de 55 dias. Já o do rabanete é de 35 dias.

Ter uma horta é sinônimo de qualidade de vida. Cultivar as próprias hortaliças pode trazer vários benefícios, como: acesso a alimentos frescos e livres de defensivos agrícolas; alimentação mais saudável e equilibrada; economia em compras; além do bem-estar e relaxamento promovidos pelo contato com a natureza.

Para garantir vaga no curso Cultivo e Produção de Hortas do SENAR Goiás, acesse aqui.

 

(Informações: Comunicação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!