Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 18 de janeiro 2019

CULTURA & EDUCAÇÃO

DIVERSOS

‘Salve Uruaçu’ – Osmair Inácio Pedreira

Nossa saudosa Sant’Ana do Machombombo

Mudou de nome mas nunca à esqueci

Foi batizada pelo nome Uruaçu

Pássaro grande em Tupi-Guarani

Oh cidade maravilhosa

Sempre acolheu todos que aqui chegaram

Cheios de orgulho muita raça pra vencer

Por isso então seus trabalhos prosperaram

Salve, salve Uruaçu

Linda cidade do norte de Goiás

Onde tem um povo hospitaleiro

Com suas culturas e riquezas naturais

Emancipada em mil novecentos e trinta e um

Com muita luta, trabalho e Amor.

Todos unidos com o mesmo ideal

E até hoje o seu progresso é promissor

Sua área territorial

Uruaçu embeleza o nosso Estado

Com seus Dois mil cento e quarenta e nove

Vírgula sete quilômetros quadrados

Salve, salve Uruaçu

Linda cidade do norte de Goiás

Onde tem um povo hospitaleiro

Com suas culturas e riquezas naturais

Todos os anos têm festas tradicionais

Nos alegramos com as comemorações

A pecuária e a festa do Caju

E as novenas com as grandes procissões

Somos felizes temos que agradecer

Por ter a sorte de estarmos aqui

Apreciando o Lago Serra da Mesa

O Cajuzinho a Manga e o Pequi

Salve, salve Uruaçu

Linda cidade do norte de Goiás

Onde tem um povo hospitaleiro

Com suas culturas e riquezas naturais

Salve, salve Uruaçu

Linda cidade do norte de Goiás

Onde tem um povo hospitaleiro

Com suas culturas e riquezas naturais

 

[conteúdo publicado no site do JC, em setembro de 2005 {link História-Uruaçu}, agora transcrito, com adaptações. O tema aqui ganhará atenção futura] Qual a origem da ideia, da parte da Prefeitura de Uruaçu, da criação do Hino de Uruaçu? Foi durante a gestão de Edmundo Filho (1997-2000) que a realidade nasceu, por meio da lei número 1.043/98, de 14/12/98. A idealização, coordenada pelo Executivo (originalmente a responsabilidade foi designada a Academia Uruaçuense de Letras [AUL]), veio a ser praticada no primeiro mandato de Marisa Araújo (2001-2004) através do decreto número 044/2002, de 03/04/2002. O ponto alto se deu no dia 14 de março de 2003, via eleição popular. Ao obter 531 votos, contra 337 do poeta Hélio Miranda (com dois em branco e quatro nulos), Osmair Inácio Pedreira foi o vencedor do concurso, que motivou discordâncias, especialmente pelo fato de Hélio Miranda, que chegou a contestar o resultado final na Justiça, não conformar com alguns procedimentos alusivos à promoção. Tanto o vencedor como a Prefeitura são da opinião de que os fatos transcorreram sem irregularidades. O que se viu (e vê) foi, desde a época da apuração, o trabalho de Pedreira ser executado em cerimônias oficiais diversas. Detalhe: o autor ainda não possui um documento oficial, emitido pelo Executivo, declarando que sua obra foi a vencedora, estando apta a integrar (de fato) o patrimônio cultural do Município. A Prefeitura tem o dever de providenciar isso urgentemente! Sob autoria de Pedreira (filho da terra, nascido dia 25 de janeiro de 1970, na rua Rio de Janeiro esquina com rua João Pessoa, no bairro São Vicente e, que sempre residiu no Município), a obra Salve Uruaçu foi a vencedora. Sem perder a humildade que sempre lhe acompanhou, Pedreira ganhou fama e viu recompensado o seu persistente trabalho no meio cultural, o que não significa afirmar que o mesmo, letrista aplicado, deixou de possuir outras muitas aspirações culturais. Nos vocais, Elizeu Honorato da Silva, Bianca Simonelle Fernandes e Otávio Pereira dos Santos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!