Editor-Chefe: Jota Marcelo

Uruaçu, Estado de Goiás, 17 de julho 2019

CULTURA & EDUCAÇÃO

DIVERSOS

‘Reinvenção’ – Cecília Meireles

A vida só é possível

reinventada.

 

Anda o sol pelas campinas

e passeia a mão dourada

pelas águas, pelas folhas…

Ah! tudo bolhas

que vem de fundas piscinas

de ilusionismo… – mais nada.

 

Mas a vida, a vida, a vida,

a vida só é possível

reinventada.

 

Vem a lua, vem, retira

as algemas dos meus braços.

Projeto-me por espaços

cheios da tua Figura.

Tudo mentira! Mentira

da lua, na noite escura.

 

Não te encontro, não te alcanço…

Só – no tempo equilibrada,

desprendo-me do balanço

que além do tempo me leva.

Só – na treva,

fico: recebida e dada.

 

Porque a vida, a vida, a vida,

a vida só é possível

reinventada.

 

Cecília Meireles (07/11/1901-09/11/1964), jornalista, pintora, poetisa e professora brasileira, nasceu e morreu no Rio de Janeiro-RJ. Poema publicado no livro Vaga Música (1942)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido!!